EXERCÍCIOS  E  JOGOS  TEATRAIS
 
EXERCÍCIOS  E  JOGOS  TEATRAIS
 
 
PREVENÇÃO DO BULLYING

Bullycídio

 

OBJETIVOS  DE  DESEMPENHO

 

  • Os estudantes serão apresentados a uma das consequências mais graves do bullying - o chamado bullycídio. 

 

  • Os alunos entenderão as implicações mais amplas do bullying na comunidade como um todo. 

 

  • Os alunos serão estimulados a sentir empatia com todos os envolvidos em um caso de bullying.

 

 

 

EXERCÍCIO

 

1. Comece perguntando aos  seus alunos se eles conhecem a palavra “ Bullycídio”. Esclareça o conceito apresentando a seguinte definição: 

 

Bullycídio é o termo utilizado para designar a prática do suicídio motivado pelo bullying.

 

 

2. Escolha um aluno e peça que ele leia em voz alta  para toda a turma o artigo sobre bullycídio ( em anexo). 

 

 

3. Em seguida peça aos alunos que desenvolvam todos juntos uma lista mencionando todas as pessoas que foram impactadas por este evento. Conforme os alunos forem falando, escreva  a lista no quadro. A lista pode conter pessoas tais como: familiares do jovem que assassinou e cometeu bullycídio ( mãe, pai, irmãos, tios, primos, avós ), familiares das vítimas mortas, familiares dos alunos feridos, alunos que estavam na escola, vizinhos, policiais,  padre ( ou pastor ) local, prefeito, governador, presidente, etc...

 

 

4. Agora divida a turma em duplas. Um aluno de cada dupla será um repórter,  e o outro aluno deverá escolher uma das pessoas listadas para interpretar. Conforme os alunos forem escolhendo seus personagens, corte-os da lista.

 

 

5. Dê aos alunos de 10 a 15 minutos para realizarem a entrevista entre si. A dupla pode desenvolver as perguntas em parceria. Peça-os para usar toda a criatividade, e fugir das perguntas muito óbvias. Mas todas as entrevistas devem começar com a seguinte Pergunta de Apresentação:

 

“ Qual é o seu nome e qual a sua relação com essa tragédia?”

 

 

6. Incentive os alunos a assumir alguns dos personagens mais difíceis - por exemplo, de jovens que cometem bullying. (Em nossa experiência, podemos dizer que na grande maioria dos casos os alunos que cometem bullying nunca pensam nas consequências dos seus atos a longo prazo. Estimule os jovens que representarem os intimidadores a deixar claro, de diversas formas, que nunca poderiam imaginar que “as coisas pudessem chegar tão longe”).

 

 

7. Agora coloque todas as duplas em cena. Cada entrevistador deverá fazer 4 perguntas para o entrevistado: a primeira deverá ser a mesma para todos, a Pergunta de Apresentação. As outras 3 devem ser escolhidas pelas duplas, entre as perguntas que fizeram no exercício anterior. A cena deve ter bastante ritmo e muita atenção de todos. Enquanto cada dupla fala, todas as outras duplas devem permanecer congeladas. As duplas devem ficar lado a lado nas cenas, e as entrevistas acontecem na ordem - a dupla ao lado começa assim que a anterior terminar.

 

 

 

PONTOS PARA DEBATE

 

1. Peça que todos os alunos sentem em um círculo e promova um breve debate sobre as causas e consequências do bullycídio.

 

2. Incentive-os a discutir sobre o impacto do bullycídio em uma comunidade. 

 

 

 

 

 

 

ARTIGO

 

CHACINA E BULLYCÍDIO NA ESCOLA MUNICIPAL TASSO DA SILVEIRA

 

Em 7 de abril de 2011, por volta das 8h30min da manhã , aconteceu uma chacina na Escola Municipal Tasso da Silveira, localizada no bairro de Realengo, na cidade do Rio de Janeiro. Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, invadiu a escola armado e começou a disparar contra os alunos presentes, matando doze deles e deixando 10 gravemente feridos, todos com idade entre 13 e 16 anos. Depois da chacina ele cometeu suicídio.

 

A nota de suicídio de Wellington e o testemunho público de sua irmã adotiva e de um colega próximo apontam que o atirador era reservado e durante anos sofreu bullying na escola. Foi descrito por familiares e conhecidos como um rapaz calado, tímido, introspectivo, que não se metia em problemas nem desrespeitava regras. Ele estudou na E.M. Tasso da Silveira, onde cometeu o crime e se suicidou, até o 9º ano.